Saiba o que diz o manuscrito de Charles Darwin vendido por quase R$ 4,6 milhões

By Fabiana bronks

Um manuscrito de Charles Darwin foi vendido na Sotheby’s, tradicional casa de leilões de Londres, no Reino Unido, por um preço recorde -US$ 882 mil, cerca de R$ 4,6 milhões. Nele, Darwin faz uma defesa enfática da teoria da evolução. O preço mais alto já atribuído a um manuscrito do mesmo autor era de cerca de R$ 2,6 milhões.

Alguns especialistas do ramo pensam que o valor poderia ser ainda maior, mesmo que supere o preço de boa parte dos objetos do naturalista. O manuscrito é um documento de 1865 escrito para a revista de celebridades The Autographic Mirror, que imprimia reproduções de caligrafia e assinaturas de pessoas famosas.

Em sua vez, Darwin aproveitou para rebater os críticos, seis anos depois da publicação do livro A Origem das Espécies. O autor do manuscrito admitiu que seu trabalho não falava de origem, mas que isso era irrelevante diante do funcionamento de sua teoria. A seguir, a íntegra do manuscrito.

Agora, recapitulei os principais fatos e considerações que me convenceram completamente de que as espécies foram modificadas, durante um longo curso de descendência, pela preservação ou seleção natural de muitas variações sucessivas e favoráveis. Não posso acreditar que uma teoria falsa explicaria, como me parece que a teoria da seleção natural explica, as várias grandes classes de fatos especificados acima. Não é uma objeção válida que a ciência ainda não tenha lançado luz sobre o problema muito mais elevado da essência ou da origem da vida. Quem pode explicar qual é a essência da atração da gravidade? Ninguém agora se opõe a seguir os resultados desse elemento desconhecido de atração; no entanto, Leibnitz anteriormente acusou Newton de introduzir “qualidades ocultas e milagres na filosofia”.

Compartilhe Esse Artigo